A Sétima Palavra da Cruz: Entrega

 



Série: As Sete Palavras da Cruz
A Sétima Palavra da Cruz: ENTREGA
Lucas 23.46


Introdução
Chegamos à última palavra, à última frase dia por Jesus na cruz. Lucas 23.46 registra essa palavra:

E, clamando Jesus com grande voz, disse: Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito. E, havendo dito isto, expirou. (Lucas 23:46)

Nesse momento Jesus estava, novamente, citando um Salmo! Isso nos ajuda saber o que estava se passando na sua mente naquele exato momento. Veja o Salmo 31.5 que diz:

Nas tuas mãos entrego o meu espírito; resgata-me, Senhor, Deus da verdade.(Salmos 31:5)

Então essa última palavra é uma declaração de “entrega” porque é exatamente isso que Jesus estava fazendo em dois aspectos importantes:

1. Jesus estava se entregando ao Deus Pai, deixando que a vontade d’Ele fosse cumprida.
A vontade de Deus é a salvação de todos os homens, mesmo que com o sacrifício do seu próprio Filho (Rm 8.32). Essa entrega de Jesus mostra a sua perfeita união com os propósitos do Pai.

2. Jesus estava se entregando por nós.
Jesus Cristo não estava ali por razões próprias. Temos que lembrar que a única razão daquilo tudo era você e eu – ninguém mais. São inúmeras as vezes que Paulo usa a expressa “entregou-se por nós”. Para o apóstolo Paulo, a maior demonstração de amor de Cristo foi essa entrega dele por nós, por nossos pecados.

A vocês, graça e paz da parte de Deus nosso Pai e do Senhor Jesus Cristo, que se entregou a si mesmo por nossos pecados a fim de nos resgatar desta presente era perversa, segundo a vontade de nosso Deus e Pai  (Gálatas 1:3-4)

Ele se entregou por nós a fim de nos remir de toda a maldade e purificar para si mesmo um povo particularmente seu, dedicado à prática de boas obras.(Tito 2.14)


Conclusão
Essa entrega de Jesus cristo, do seu espírito nas mãos do Pai, não foi apenas uma forma poética de dizer “estou morrendo”. Ele estava, nesse momento afirmando seu propósito salvífico, sua humildade em cumprir esse propósito, sua união com o Pai e o seu amor para conosco ao ponto de entregar a própria via em nosso favor. E qual deve ser a nossa resposta a esse ato de entrega do nosso Salvador. Acredito que a afirmação do apóstolo Paulo deve ser a mais adequada:

Fui crucificado com Cristo. Assim, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim. A vida que agora vivo no corpo, vivo-a pela fé no filho de Deus, que me amou e se entregou por mim. (Gálatas 2:20)

Que o Senhor nos ajude a viver assim! Amém!

Davi Liepkan, pastor na Igreja Batista Central de Nova Odessa




RSS E-mail Print Comentar